pt | en

A Vila de São Jorge

Até a década de 1990, a principal economia de São Jorge era o garimpo de cristal. A vila chegou a receber mais de 3 mil pessoas nos tempos áureos da atividade. Hoje, muitos dos nativos ou foram garimpeiros, dependendo da idade, ou são filhos de um. Com o fim do garimpo, a economia estagnou. Foi o ecoturismo que a reergueu, com o impulso do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, criado em 1961. O turismo despertou os olhares não só de pessoas de fora, mas dos moradores. A principal renda da maioria deles atualmente é baseada na rede hoteleira, nos restaurantes e agências de viagens.

O Parque protege uma área de 65.514 hectares de cerrado de altitude e é considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco desde 2001. Vir a São Jorge é ter a chance de desfrutar de inúmeras cachoeiras, paisagens, mirantes, nascentes, cânions. Entre eles estão Vale da Lua, Águas Quentes, Morada do Sol, Raizama, Janela, Abismo, Salto do Rio Preto, Corredeiras.

Além dos atrativos turísticos, uma das maiores riquezas de São Jorge é ser terra de gente simples, homens e mulheres da roça, antigos garimpeiros, pequenos comerciantes. É espaço para a boa prosa e boas doses de fé e sabedoria popular. Durante o dia, o sol ilumina as ruas de terra batida e convida para um banho de rio. À noite, é a lua que encanta em um céu carregado de estrelas.

São Jorge é parada de pessoas vindas de diferentes direções, que passam apenas alguns dias ou acabam dedicando a vida inteira a esse pedaço do Goiás. Os motivos são diversos. Mas um dos maiores é a aura de misticismo que envolve a região. Alto Paraíso – que faz as vezes de capital da Chapada dos Veadeiros e da qual a vila é distrito – é ponto de encontro de muitas comunidades alternativas. O precursor desse movimento foi um grupo de pernambucanos, vindo em missão espiritual na década de 1950. Eles fundaram a Fazenda Bona Espero, centro de ensino de esperanto, idioma criado para ser universal. Logo depois, diferentes linhas chegaram e ainda chegam: kardecistas, daimistas, umbandistas, astrólogos, xamanistas, ufologistas, bruxos, discípulos de Osho, Gurdjieff e Khalil Gibran.

O guru brasileiro Sri Prem Baba tem um ashram em Alto Paraíso, onde passa uma temporada de agosto a outubro. No restante do ano se divide entre Rishikesh, na Índia, Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, e pelo mundo, em palestras e visitas aos lugares que pregam seus ensinamentos sobre o despertar do amor.

As explicações para a aura de misticismo são muitas. Uma delas está relacionada ao fato de a Chapada dos Veadeiros ser cortada pelo paralelo 14, o mesmo que passa por Machu Picchu, a cidade sagrada dos Incas, no Peru. Outra, relaciona essa energia local ao enorme cristal de quartzo na qual a região está assentada. Reza a lenda que a NASA ligou para cá uma noite perguntando onde seria esse lugar tão iluminado, o mais brilhante da Terra visto do espaço. Seria esse também o motivo que atrairia óvnis. As luzes que volta e meia cortam o céu guardam uma série de mistérios e lendas locais.

São Jorge possui uma rede estruturada de pousadas, campings, restaurantes, bares, pizzarias e lojas, além de posto de saúde, igrejas, um centro comunitário, uma quadra polivalente, escolas e supermercado. Fica a 220 km de Brasília e possui 600 habitantes.

Agenda

Programe-se para os próximos eventos
na Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge


A Vila de Sao Jorge

Conheça a história da Vila criada por ex-garimpeiros de cristais
Faça parte da nossa comunidade e ajude a preservar as belezas da Vila
Veja a rota de carro a partir de Brasília até a Vila de São Jorge

Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge
Rua 4, quadra 4, lote 19, Vila de São Jorge, Alto Paraíso - GO
Telefone: 62 3455 1077 - contato@cavaleirodejorge.com.br

2005 - 2017 Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge. Alguns direitos reservados.
Ao compartilhar, cite a fonte.